Category: Personal

C1

5. Era outono – a estação da mais bela luz.…

By ramblermind

#16

Somos entendidos mais por aquilo que o observador quer ver em nós do que por aquilo que na verdade somos. Para o bem e para o mal. A justa observação do outro parece-me quase impossível, tão cheios de ecos andamos…

By ramblermind

#15

Acredito firmemente que não devemos acartar as pedras dos outros às nossas costas. Ao fazê-lo, impedimo-los de aprender, logo, de progredir – salvo as exceções em que tal não é biologicamente possível.…

By ramblermind

#14

Quando sinto uma grande necessidade de organizar o pensamento, gosto de meter-me num transporte, tendo por ponto de chegada o ponto de partida. Ver passar a paisagem ajuda ao meu intento. Vou a lugar nenhum e, quando…

By ramblermind

#13

Nada pode crescer sem raízes. Não se entenda, por isto, o aprisionamento a um lugar – as raízes podem ser transplantadas. Entenda-se antes a necessidade de acarinhar o passado, nas suas múltiplas dimensões, para que…

By ramblermind

#12

Comedimento no agir não significa que se sinta menos intensamente. Tendo a crer, aliás, que quanto menos as palavras, quanto menos desmedida a efusão, mais vibra o ser por dentro.…

By ramblermind

#11

Quer-me parecer que a qualidade de uma relação pode ser percebida pela duração do silêncio que se partilha confortavelmente.

By ramblermind

#10

Os milagres acontecem de quando em vez, porém, se o fruto que era pequeno cresce e amadura com o tempo sabe ainda melhor.

By ramblermind

#9

Não tenho perfil para a velocidade (pós)moderna. Vivo o tempo como as árvores de fruto – as pressas diminuem-me o sabor.…

By ramblermind